Seg a Qui8h30 às 17h30

Sex8h às 17h

      

Blog

  • Conteúdos e novidades da CIT, fabricante dos Tecidos Constâncio Vieira.
6 dicas de segurança no trabalho na indústria de confecção

Acidentes e doenças provenientes do trabalho são comuns na indústria, podendo levá-la a ter funcionários insatisfeitos e com baixa produtividade, ou mesmo, perdendo o funcionário por afastamento ou aposentadoria precoce, o que vai exigir a preparação de um novo funcionário para a tarefa, a qual requer trabalho, tempo e dinheiro, por isso, a criação das normas de segurança do trabalho.

As doenças mais comuns relacionadas ao trabalho é LER (lesão por esforço repetitivo), doenças na coluna e fadiga e elas são responsáveis por entrega de atestados, afastamentos e aposentadorias, mas também, existem os acidentes de trabalho que podem ser prevenidos ou cessados quando aplicadas normas de segurança do trabalho.

Empresas que dão a devida importância a este tema tem um valor de imagem diferenciado no setor quando segue a risca as diretrizes estabelecidas, pois apresentam credibilidade ao mercado transparecendo responsabilidade e confiança.

Abaixo, seguem 6 dicas básicas de segurança no trabalho de uma indústria de confecção, mas que, infelizmente, ainda são pouco praticadas:

  1. Uso de protetor auricular: existem várias máquinas e equipamentos que geram pressão sonora durante a jornada de trabalho dentro de uma confecção;
     
  2. Controle para minimizar o calor no ambiente: podem-se observar fontes de calor, como por exemplo, o ferro de passar roupa e a máquina de entretela e, dependendo da fonte, algumas medidas podem ser adotadas, como: revezamento de função quando possível, isolamento das partes emissoras de calor, planejamento de instalação e uso adequado de máquinas e equipamentos geradores de calor, instalação e utilização de ventilação natural e/ou artificial;
     
  3. Atenção com o manuseio de produtos químicos: Evitar contato direto do químico ao rosto, manusear os químicos em local com ventilação natural e com menor número de trabalhadores e utilizar equipamentos de proteção individual como luvas e máscaras apropriadas. Apesar de o risco químico na indústria de vestuário ser baixo, podem-se adotar medidas que vão minimizar incômodos como inalar vapores de amônia, o ressecamento das mãos por produtos cáusticos, entre outros. Nota-se que os produtos químicos mais comuns utilizados pela indústria de confecção são:

    - LIMPEZA– produtos domésticos (sabão, sabonete ou detergente) e/ou solventes orgânicos;

    - ESTAMPARIA DO TIPO SERIGRAFIA (silk-screen) – produtos contendo solventes orgânicos ou a base de água, como por exemplo, hidróxido de amônio;

    - LAVANDERIA - produtos químicos em soluções diluídas como, barrilhas, metabissulfito de sódio e hipoclorito de sódio e produtos oxidantes como permanganato de potássio.
     
  4. Adequar a postura do trabalhador: esta dica é mais complexa, necessitando de uma avaliação para cada processo da indústria e para cada indivíduo para ajustar as condições de trabalho ao ser humano. O posicionamento do trabalhador por períodos prolongados ocasiona compressão dos vasos sanguíneos dificultando a circulação do sangue. Uma medida de prevenção, por exemplo, é a altura das mesas de trabalho que devem estar de acordo com as características de cada trabalhador, considerando a melhor flexibilidade de postura, pois existem pessoas com diferentes alturas, estruturas ósseas e musculares, por isso, quando a organização do trabalho considera também o conforto individual, é possível ter um ambiente favorável à execução das atividades, proporcionando maior conforto, menos estresse, redução da fadiga e absenteísmo:
     
  5. Medidas de controle no setor de corte: o setor de corte é onde acontece a maior ocorrência de acidentes graves como mão cortada e amputação de dedos devido ao uso de máquina de corte elétrica manual, por isso a importância na utilização da luva de malha de aço na mão oposta àquela que opera a máquina;
     
  6. Realizar treinamento e orientações: promover treinamento e orientações junto aos envolvidos nos processos administrativos e produtivos, assim como revisar e atualizar as medidas de controle sempre que necessário.

Para saber mais sobre como promover um ambiente mais saudável e seguro aos trabalhadores da sua confecção, a FIESP – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo disponibiliza em seu site para download um manual completo em PDF sobre Segurança e Saúde no Trabalho da Indústria do Vestuário.

EQUIPE CIT.

FONTE: Serviço Social da Indústria – SESI. Diretoria de Assistência Médica e Odontológica – DAM. Gerência de Segurança e Saúde no Trabalho – GSST. Manual de segurança e saúde no trabalho. / Gerência de Segurança e Saúde no Trabalho. -- São Paulo: SESI, 2003. 244 p. : il. color. ; 28 cm. -- (Coleção Manuais ; Indústria do Vestuário).

 

  • Compartilhe:

Dúvidas?

Se você tem alguma dúvida quanto aos nossos produtos, entre em contato através do telefone, chat ou clicando no botão "Clique Aqui".

Ligue-nos

(11) 5054-1300

Envie E-mail

Clique Aqui